Parceiro: Camisetas Hacker

Camisetas para Nerds & Hackers

Mostrando postagens com marcador apoio. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador apoio. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Internet Ungovernance Forum Brasil

<free> We are supporting </free>

Sem privacidade não há democracia! There is no democracy without privacy! No hay democracia sin privacidad! Il n'y a pas de démocratie sans la vie privée!  O Fórum de DESGOVERNANÇA da Internet é para todas as pessoas que exigem uma Internet livre, aberta e segura para o povo! Estaremos organizando o Fórum de Desgovernança da Internet em Novembro de 2015, para todas as pessoas que demandam por liberdade de expressão, transparência, privacidade e neutralidade de rede como pilares fundamentais da Internet. Nosso objetivo é falar sobre os verdadeiros e reais problemas da Internet, assim como sobre os meios através dos quais podemos resolvê-los, traçando um plano de ação. Nosso fórum será paralelo ao Fórum de Governança da Internet (IGF) 2015, que também será em João Pessoa. Partes interessadas de todo o mundo irão participar deste importante evento. Nós observamos que, no IGF, os mais urgentes problemas da Internet não recebem a devida atenção. Devido ao formato do evento, os principais perpetuadores de muitos dos problemas da internet, governos e corporações, terão uma representatividade no IGF que eles não merecem. Dadas essas circunstâncias, nós decidimos defender a Internet como nós a conhecemos e criar um espaço para dar voz a iniciativas da sociedade civil, ativistas e pessoas comuns, em um fórum paralelo. Para nós, as questões atuais mais fundamentais são a censura e liberdade de expressão; vigilância e privacidade; excessiva comercialização e super-monopólios; protecionismo, proibição e aproximação de uma governança conservadora. Além disso, vemos que todos esses problemas, relacionados e incorporados à Internet e suas infraestruturas digitais, não podem ser dissociados de seus contextos políticos, sociais e econômicos. Queremos reafirmar a Internet como uma base fundamental da nossa sociedade, cidade, educação, saúde, trabalho, meios de comunicação, comunicações, cultura e atividades de nosso cotidiano. Convidamos as pessoas interessadas em participar dessa iniciativa a resistir à visão de que os problemas da Internet são unicamente tecnológicos, sem o efeito de sua materialidade.

Sem privacidade não há democracia!
There is no democracy without privacy!
No hay democracia sin privacidad!
Il n'y a pas de démocratie sans la vie privée!


Ab0ut
Internet Ungovernance Forum Brasil is for those of us who demand free, secure, and open internet for all!

We're organizing the Internet Ungovernance Forum on November 2015, for everyone who demand that fundamental freedoms, openness, unity and net neutrality remain the building blocks of the Internet. Our objective is to talk about the real problems of the internet, how we can solve these and to chart a path for action.

Our forum will be in parallel to the Internet Governance Forum (IGF) 2015 which will also be held in João Pessoa in november. Interested parties all around the world will join and follow this important event. We see that at IGF the most urgent problems of the Internet do not get the right attention. Due to the "multi-stakeholderism" format, the main perpetrators of many of the Internet's problems, governments and corporations, are getting representation in IGF they don’t deserve. Given these circumstances, we decided to take initiative to defend the Internet as we know it and to create a parallel space to raise the voices of civil society initiatives, activists and common people.

For us, the most vital problems today are censorship and freedom of speech; surveillance and privacy; excessive commercialization and super-monopolies; protective, prohibitionist and conservative governance approaches; awful governance examples as in the case of Brasil and the list goes on. Further, we do not see any of these problems independent of the greater political, social and economic contexts in which the Internet and related digital infrastructures are embedded in.

We want to reclaim the Internet as a fundamental infrastructure of our societies, cities, education, health, work, media, communications, culture and everyday activities.

We call on our participants to resist seeing the problems of the Internet as only technological and void of its materiality


Inv1t3d

Invited JULIA REDA  German, member of the european parliament for the Pirate Party on Germany and vice president of the Greens / Europe Free Alliance. Amelia Andersdotter AMELIA ANDERSDOTTER  Swedish activist, youngest member of the European Parliament on history from 2011-2014 for the Piratpartiet. Fabiane Kravutschke FABIANE KRAVUTSCHKE  Activist for ecofeminism, transfeminism and for the animal rights. Prime Secretary of the Pirate Party on Brasil.
Supp0rter5

Supporters


PAGE OFICIAL: 

EVENTO FACEBOOK: 

terça-feira, 24 de julho de 2012

Femen Brazil conheça essa luta!

Google INURL - Brasil da total força ao grupo Femen Brazil



Femen Br official page
Missão
O Femen é um movimento que nasceu na Ucrânia em 2008, e hoje já se encontra internacionalizado. Nosso objetivo é o extermínio de práticas como Turismo sexual, exploração sexual de adultos e criaças, sexismo e todo tipo de patriarcado. 
Nós usamos o conceito de Nu Político para lutar, ou seja nossos corpos como armas de combate. Nós não nos despimos para protestar, nós vestimos nosso grito de guerra. Através deste conceito, ralizamos performances e protestos pacíficos, principalmente utilizando de nossos seios. Essa é nossa maneira de provar aos responsáveis pela indútria do sexo que no mundo existem garotas que usam a nudez para lutar e que jamais serão exploradas, nós controlamos nossa própria nudez e nos apoderamos dela para combatê-los.
Dentre os principais objetivos da Femen Br é lutar contra o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, indígenas e combater a violência doméstica.


Femen is a movement that was born in Ukraine in 2008, today is already internationalized. Our goal is the extermination practices such as sex tourism, sexual exploitation of children and adults, sexism and all kinds of patriarchy. We use the concept of Naked Politician to fight, that is our bodies as weapons of warfare. We do not put off to protest, we wear our battle cry. Through this concept, performance and conduct peaceful protests, mainly by using our breasts. This is our way of proving to those responsible for the sex industry in the world there are girls who use nudity to fight and never will be explored, we control our own nakedness and lay hold of it to fight them. the main objectives of Femen Brazil is to combat sexual abuse and exploitation of children and adolescents, indigenous and combat domestic violence.
Descrição
FEMEN (ucraniano: Фемен) é um grupo de protesto ucraniano com sede em Kiev, fundada em 2008. A organização tornou-se internacionalmente conhecida por organizar protestos de topless contra o turismo sexual, agências matrimoniais internacionais, sexismo e outros males sociais, nacionais e internacionais.

FEMEN (Ukrainian:Фемен) is a Ukrainian protest group based in Kiev, founded in 2008. The organisation became internationally known for organizing topless protests against sex tourists, international marriage agencies, sexism and other social, national and international ills. 

Pagina oficial Femen Br official: https://www.facebook.com/femenbrazil

sexta-feira, 29 de abril de 2011

#PrecoJusto INFORMAÇÃO SEM IMPOSTO | TEXTO COMPLETO

GOOGLEINURL - BRASIL APOIA:

#PrecoJusto

 http://www.precojustoja.com.br/





Há muito tempo que o povo brasileiro se calou quase que por inteiro. Poucos estão interessados em se unir para lutar pelo que é justo. Passeatas praticamente não existem mais, revoltas muito menos, mas se a geração Coca-Cola esperava uma oportunidade paracomeçar a se unir, ela chegou agora.
Ano após ano somos estuprados pelos altíssimos impostos no Brasil. Tiram muito e devolvem praticamente nada, deixando um verdadeiro rombo no orçamento de diversos brasileiros. Ano após ano, também, vemos notícias sobre corrupção, festa com dinheiro público e aumento de salários dos políticos, mas não fazemos rigorosamente nada. Para se ter uma ideia, hoje, dia 26/04, o site www.impostometro.com.br informa que, em apenas 4 meses, o governo arrecadou mais de 440 BILHÕES DE REAIS. Onde está o nosso retorno? Onde estão nossos benefícios devolvidos? Onde está o nosso dinheiro? Ah sim, provavelmente no showzinho do Luan Santana realizado com verba pública somente para servidores do estado, que custou 1.3 milhão de reais… Do nosso dinheiro.
Está na hora de utilizar a Internet para organizar um manifesto pela luta do que consideramos justo.
Há tempo demais somos obrigados a pagar valores exorbitantes para podermos ter aquilo que o resto do mundo inteiro tem barato: produtos de mídia e eletrônicos como DVD’s, BluRays, Videogames, Jogos, iPads, iPhones, iPods e tantos outros exemplos. No país onde o salário mínimo é de 540 reais, nosso governo tem a cara de pau de fazer com que um simples lançamento de filme em BluRay saia por 80 desses suados reais.
Oitenta reais em um filme é mais que uma cuspida em nossa cara, principalmente quando sabemos que, lá fora, o mesmo filme é vendido por ridículos 26 reais (no caso, 17 dólares). O mesmo acontece em todos os outros segmentos, como você pode ver abaixo:
Playstation 3 – Lá fora: 474 reais
Playstation 3 lá fora
No Brasil: 2000 reais
Playstation 3 no Brasil
Call of Duty Black OPS Wii – Lá fora: 63 reais
Preço do jogo Call of Duty Black Ops pra Wii lá fora
No Brasil: 200 reais
Preço do jogo Call of Duty Black Ops pra Wii na FNAC
iPad 64GB 3G – Lá fora: 954 reais
Preço do iPad 3G 64Gb lá fora
No Brasil: 2400 reais
O manifesto #PrecoJusto tem o objetivo de enviar para Brasília a nossa insatisfação e revolta. Nele, basta você assinar com seu nome, email e CPF que nós tomaremos todas as medidas necessárias para que enxerguem nossa manifestação e, assim, possamos sair da Internet para conseguirmos uma lei.
Aqui é só o início, o local onde você pode ajudar a fazer um país melhor. Esse é apenas o primeiro de muitos manifestos veiculados pela Internet e que tomarão repercussão e força nacional para chegarem em Brasília. Assine, divulgue, participe, fique antenado nos acontecimentos, pois se a Internet é o futuro, está na hora de utilizá-la para moldar melhor o NOSSO futuro!

terça-feira, 29 de março de 2011

Ataque anônimo no Warner Bros

Ataque anônimo no Warner Bros

Hacktivistas metas DDoS nome.

O hacktivist Anónimo coletiva temporariamente derrubou o site da Warner Bros Records, com um ataque distribuído de negação de serviço ontem.
De acordo com informações não confirmadas, o grupo foi também tentar baixar e-mails Warner Bros e material arquivado.
Anónimo lançou o ataque para protestar contra o envolvimento da Warner Bros, em um EUA 75 trillion dólares ação judicial contra a empresa de compartilhamento de arquivos LimeWire.
Treze outros estúdios de gravação foram envolvidos na ação por uma soma mais de cinco vezes o PIB dos Estados Unidos.
"Ataque anônimo no Warner Bros fez parte" Operação Payback "contra vários esforços para derrubar sites de compartilhamento de arquivo.
No início deste mês, Anónimo chamado para ataques DDoS no Departamento de Governo da Nova Zelândia de Assuntos Internos site para protestar contra um esquema de filtragem de Internet voluntário que a maioria dos grandes provedores de internet já aderiram.
O hacktivistas também atingiram sites do governo da Tunísia, Zimbábue, Egito, Iêmen e Itália, bem como sites corporativos, como os da Visa e Mastercard depois que se recusou a processar os pagamentos para o Wikileaks.
Anónimo emitiu a seguinte declaração para explicar o seu ataque:
"Limewire foi processado por 75 trilhões de dólares por 13 empresas discográficas. Cada agregado familiar único EUA teria de gastar toda sua renda comprando nada, mas a música para mais de 13 anos para chegar ao que a indústria da música tem uma solução considerada razoável.
Para colocar este número em perspectiva o PIB dos EUA é de US $ 14 trilhões - menos de um quinto do que a indústria fonográfica está pedindo.
Heck, o PIB de todo o mundo está entre 59 e 62 trilhões. Isso mesmo, a indústria da música quer LimeWire para pagar mais dinheiro do que existe no mundo inteiro.
Limewire, os demandantes alegam, deve-lhes entre os EUA 400,000 milhões dólar e dos EUA 75 trillion dólares. O último, gravado, vem a 75.000.000.000.000.
Mesmo a baixa de US $ 400 bilhões ainda equivale a sete por cento do rendimento total do agregado familiar em todo o país.
A idéia de que a indústria poderia pedir trilhões em prejuízos aparentemente brota de um sucesso anterior contra a Usenet em 2009, no qual a cópia de um número relativamente pequeno de obras (878) foi multiplicada pela pena máxima para chegar a um projeto de lei danos perto EUA $ 6,6 milhões.
No entanto, neste caso - que envolve um grande número de infratores -, o juiz disse que "permitindo Requerentes para recuperar vários prêmios por trabalhos com base no número de infratores diretos é insustentável".
Ao argumentar que Limewire devem ser elegíveis para os danos em cada download individual, os estúdios foram efetivamente argumentando que Limewire devia mais dinheiro do que a indústria do disco inteiro tem feito desde que Edison inventou o fonógrafo em 1877.
Estes são os autores e os nossos objectivos:
1 - Música Arista (BMG), http://www.bmg.com/
2 - Arista Records LLC, http://www.arista.com/
3 - Atlantic Recording Corporation, http://www.atlanticrecords.com/
4 - Capitol Records, Inc., http://www.capitolrecords.com/
5 - Elektra Entertainment Group Inc., http://www.elektra.com/
6 - Interscope Records, http://www.interscope.com/
7 - LaFace Records LLC, http://laface.com/
8 - Motown Record Company, LP, http://www.motown.com/
9 - Priority Records LLC, http://www.priorityrecords.com/
10 - UMG Recordings, Inc., http://www.universalmusic.com/
11 - Virgin Records America, Inc., http://www.virginrecords.com/
12 - Warner Bros Records Inc. http://www.warnerbrosrecords.com/.


fonte:http://www.itnews.com.au/News/252672,anonymous-hit-warner-bros-in-latest-operation-payback-attack.aspx

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

O que você sabe sobre o Wikileaks?




  • Julian Assange, fundador da instituição (WikiLeaks), procura se estabelecer na Suécia pelas suas leis de proteção a jornalistas, então  é acusado de crimes sexuais e teve de deixar o país.



  • O site WikiLeaks sofreu ataques do tipo DDoS (Denial of Service), que fizeram com que ficasse fora de funcionamento por muitas horas.



  • Depois dos ataques DDos, a WikiLeaks contratou serviços da Amazon que poderiam tratar adequadamente dos ataques, mas a Amazon rompeu contrato e expulsou a WikiLeaks de seus domínios.



  • O serviço que redireciona os usuários (DNS) para os servidores da WikiLeaks foi desativado, fazendo assim com que o domínio original “wikileaks.org” não funcional.



  • A Suécia emite um mandado de prisão contra Julian Assange.



  • A Interpol (polícia internacional, representada em 188 países) emite um alerta vermelho contra Julian Assange, o que significa que ele deve ser preso se encontrado.



  • O serviço de pagamentos eletrônicos no qual a WikiLeaks utilizava para receber fundos de todo o mundo, congela a conta da instituição, deixando retidos 70 mil euros.



  • A Suécia congela a conta bancária de Julian Assange.



  • Julian Assange é preso na Inglaterra.



  • Julian Assange tem pedido de fiança negado.



  • O serviço alternativo de transferência de fundos para WikiLeaks que utiliza cartão de crédito (Visa Mastercard) é cancelado.



  • Ataques verbais a instituição WikiLeaks e seu fundador Julian Assange, inclusive com incitação a violência contra os mesmos.



  • O site do grupo de hackers favoráveis a WikiLeaks denominado Anonops foi retirado de funcionamento (anonops.net).



  • O perfil no Twitter do grupo Anonops foi excluído.



  • O perfil do Facebok do grupo Anonops foi excluído.



  • A página com manual do grupo Anonops foi excluído.



  • O endereço temporário anonops.info foi excluido.



  • Dois adolecentes que apoiaram as operações PayBack foram presos na Suécia.



  • Força Área americana bloqueia acesso de algumas instituições e pessoas a WikiLeaks.



  • EUA iniciam operação para prender Assange.



  • EUA prendem manifestantes pró WikiLeaks em Washington.



  • Bank of America inicia operação contra WikiLeaks.



  • CIA cria esquadrão para combater WikiLeaks.



  • EUA obrigam o Twitter a revelar informações de usuários da conta WikiLeaks.



  • WikiLeaks Brasil tem duas vezes tentativas de seqüestro de seus serviços de e-mail.



  • Ex banqueiro que entregou dados a WikiLeaks é acusado na Suíça.



  • O grupo AnonOps sofre ataques da mídia quanto a responsabilidade de suas ações.



  • Governo Britânico prende 5 pessoas por apoiar WikiLeaks.


  • Estatísticas
    • 6 Ataques a infra estrutura.
    • 4 Ataques a mobilização financeira.
    • 17 Ataques contra liberdade individual.
    • 7 Ataques a entidades de apoio.

    sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

    SENADOR QUER CRIMINALIZAR FANSUBBERS, FANFICS, TRADUTORES DE MANGAS, E REDES P2P.

    SENADOR QUER CRIMINALIZAR FANSUBBERS, FANFICS, TRADUTORES DE MANGAS, E REDES P2P


    Ao aprovar o projeto Substitutivo ao PLC 89/2003, PLS 137/2000 e PLS 76/2000, redigido pelo Senador Azeredo, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara quer transformar milhares de internautas em criminosos.

    O Senador Azeredo quer tornar uma das atividades mais criativas da Internet em ato criminoso. Quer transformar os fansubbers, os fanfictions e a tradução de séries de TV em crime. O Senador considera que traduzir um Mangá é um crime tão grave como invadir um banco de dados e subtrair dinheiro de um aposentado.

    Milhares de jovens e adultos participam de grupos de Fansubbers traduzem animes (desenhos animados) do japonês para o português. Eles legendam estes desenhos e distribuem gratuitamente pela rede. Trata-se de um fenômeno mundial e muito popular no Brasil. Jovens, Advogados, médicos, engenheiros, universitários, com idade entre 16 e 35 anos, serão considerados criminosos assim que o Substitutivo do Senador Azeredo for aprovado no Plenário.

    Além dos fansubbers, o Senador Azeredo quer colocar na prisão também os criadores de Fanfics ou Fanfictions. São ficções criadas por fãs de uma série de TV ou cinema qualquer. Pessoas comuns fazem o que Walt Disney fez com os Irmãos Grimm, recriam seus contos e estórias, mas fazem por hobby, sem intenção comercial. O fanfic são contos ou romances escritos por quem gosta de determinado filme, livro, história em quadrinhos ou quaisquer outros meios de comunicação. Somente um dos sites mais interessantes de Fanfic em português, criado em novembro de 2005, conta com aproximadamente 7,511 histórias (24,081 capítulos e o impressionante total de 37,620,962 palavras). Este site e centenas de blogs estarão na mira do substitutivo do Senador Azeredo.

    Isto porque ninguém poderá usar nenhum arquivo sem a expressa autorização do seu autor. O artigo 285-B do Substitutivo do Senador Azeredo diz que será considerado CRIME:

    "Obter ou transferir dado ou informação disponível em rede de computadores, dispositivo de comunicação ou sistema informatizado, sem autorização ou em desconformidade à autorização, do legítimo titular, quando exigida:
    Pena – reclusão, de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa.
    Parágrafo único. Se o dado ou informação obtida desautorizadamente é fornecida a terceiros, a pena é aumentada de um terço."

    Como bem afirmou o jurista Lawrence Lessig, a criatividade estará em perigo se substituirmos a cultura da liberdade pela cultura da permissão. O Senador Azeredo com o artigo 285-B pretende criminalizar uma das principais características da cibercultura que é o remix, que são as práticas recombinantes. Azeredo quer bloquear uma das principais condições para a criatividade que é a reciclagem de idéias, a possibilidade de compartilhar bens culturais.

    Será que todos os Senadores brasileiros sabem que eles irão considerar criminoso um jovem que baixa um capítulo da série Lost para traduzi-la, inserir a legenda em português, para distribui-la gratuitamente em redes P2P? Não é possível que eles considerem o ato de solidariedade do jovem, ao distribuir gratuitamente o vídeo legandado, como algo que exija o aumento de sua pena em "um terço".

    Será que nossas cadeias precisam de gente criativa? O que este artigo 285-B tem a ver com o combate a pedofilia? Trata-se de uma agenda oculta? Será que nossas Casas legislativas querem criminalizar a cibercultura?

    O projeto que busca implantar o estado de vigilância na rede, que quer obrigar a todo provedor a bloquear o P2P, que incita o denuncismo dos provedores de acesso é o SUBSTITUTIVO AO PLS 76/2000, PLS 137/2000 e PLC 89/03, de autoria do Senador Eduardo Azeredo (MG).

    Por causa disto, os amigos sugeriram mudarmos os banner para estes abaixo:






    Fonte texto:goo.gl/FXHgA

    O PARECER do senador Azeredo pode ser obtido no endereço:
    http://webthes.senado.gov.br/sil/Comissoes/Permanentes/CCJ/Pareceres/PLC2008061889.rtf

    quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

    NASA levará estudantes brasileiros para estágio no Alaska

    Marco Comberiate, durante palestra na Campus Party
    A NASA pretende levar um grupo de dez estudantes brasileiros para um período de estágio em uma de suas bases nos Estados Unidos, mais precisamente no Alaska. Essa foi a proposta apresentada na Campus Party Brasil 2011 por Michael Comberiate, engenheiro da Agência Espacial Norte-Americana, durante palestra realizada na tarde de ontem (18).
    Juntamente com o engenheiro Marco Figueiredo, os estudantes participariam de um programa envolvendo robôs para coleta de imagens em solo terrestre e em áreas inóspitas ou de difícil acesso. O estágio seria na área de desenvolvimento de software e os estudantes participariam do processo de criação e execução.
    Atuando na NASA desde 1969, Comberiate afirmou que o desafio maior do projeto é fazer com que o software seja capaz de indexar imagens em 3D. "Um robô de estudos será disponibilizado na Universidade do Vale do Rio Doce, em Governador Valadares (MG). A equipe que apresentar a melhor proposta de trabalho viajará para uma das bases da NASA e fará um estágio de três meses".
    O site do projeto ainda está em desenvolvimento, mas os estudantes que quiserem mais informações sobre o processo seletivo e o objeto de estudo podem tirar suas dúvidas pelo email [email protected]

    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

    [APOIO] Hack'n Rio promete juntar diferentes tribos hackers em abril.


    O Hack'n Rio é um evento organizado pelo grupo SL-RJ em conjunto com suas comunidades amigas (http://softwarelivre-rj.org/comunidades). Em 2011, a primeira edição do evento ocorrerá nos dias 08 a 09 de Abril, na Cidade Universitária da UFRJ, no Rio de Janeiro – RJ.
    Apesar da palavra “hacker” atualmente estar associada a uma pessoa que explora falhas de segurança em computadores e tenta prejudicar outras pessoas, no sentido original da palavra ela designa alguém que sabe muito bem algum assunto. Por isso, o Hack'n Rio não é um encontro de usuários malignos de computador, mas sim de pessoas que conhecem muito bem computação, mais especificamente software livre, ou pessoas que estão buscando isto.
    A ideia de se fazer este evento veio das comunidades do estado do Rio de Janeiro, que são bastante ativas e frequentemente organizam eventos de pequeno e médio porte, além de encontros técnicos de alta qualidade, todos com público fiel e crescente. Alguns exemplos são:
    (Agenda completa da comunidade pode ser vista em http://calendario.softwarelivre-rj.org);

    O I Hack'n Rio será a oportunidade de todas as comunidades unirem forças e apresentarem as tecnologias livres num só lugar, com muito mais infraestrutura e poderem, assim, agregar ainda mais pessoas. Neste evento serão apresentadas palestras técnicas, painéis e oficinas sobre softwares livres, com membros respeitados da comunidade fluminense e pessoas renomadas do Brasil e do mundo.
    Além disso, queremos oferecer um diferencial em relação aos demais eventos que é trazer conteúdo que possa introduzir novos contribuidores a projetos de software livre, algo que identificamos como uma fraqueza do nosso país. Para isto, pretendemos trazer contribuidores de diversos projetos e, caso seja de interesse da patrocinadora, promoveremos competições para identificar novos talentos.