quarta-feira, 6 de abril de 2011

Criar um rooter de windows em php

Video aula feita por: NoxXxoN.
Esse video tem como objetivo ensinar voce a criar um rooter de windows em php.






1. Diferenças entre comandos internos e externos
Os comandos internos podem ser executados em qualquer pasta no PC e a qualquer momento pois estão embutidos no DOS. Os comandos externos são programas utilitários que acompanham o sistema operacional e que só podem ser executados onde estão localizados, ou seja, no drive onde foram gravados. Este tutorial está dividido em 2 partes: comandos internos e comandos externos.
2. Os comandos internos
Nos comandos internos pode-se saber mais informações acerca do mesmo, digitando /? após o comando, ex.: dir/?, você irá receber informações sobre o comando dir, os comandos internos são os mais úteis em emergências já que podem ser executados em qualquer lugar; agora, vamos aos comandos.
Comando DATE
Esse comando, como o nome já diz, mostra na tela a data atual, permitindo a sua modificação. O comando DATE deverá ser usado da seguinte maneira: date [opções] (Sem os colchetes), sendo que não é necessária a utilização das opções caso você não queira.
Ex.: Digitando date, irá aparecer:
Data atual: sáb 28/06/2003
Digite a nova data: (dd-mm-aa)

Opções:
/t - Informa a data mas não solicita uma nova.
Comando TIME
Esse comando faz a mesma coisa que o comando DATE mas ao invés de mudar a data ele muda a hora: esse comando mostra hora, minutos, segundos e centésimos de segundo. O comando TIME deverá ser usado da seguinte maneira: Time [opções] (Sem os colchetes), sendo que não é necessária a utilização das opções caso você não queira.
Ex.: Digitando time, irá aparecer:
Hora Atual: 17:01:20,98
Digite a nova Hora:

Opções:
/t – Informa a hora mas não solicita uma nova.
Comando VER
Esse comando mostra qual sistema operacional você está usando.
Ex.: Digitando ver, irá aparecer:
Microsoft Windows XP [versão 5.1.2600]
Comando CLS
Esse comando limpa a tela e posiciona o cursor no canto superior esquerdo da tela.
Comando Dir
O comando dir é muito famoso e quase todos já conhecem: ele mostra todos arquivos e pastas de um diretório e busca arquivos em um drive especificado. O comando DIR é usado da seguinte maneira: dir [drive:\][caminho\] arquivo(s) [opções] (Sem os colchetes) sendo que não é necessária a utilização das opções caso você não queira nem de arquivo(s).
Opções:
/p - A listagem pára toda vez que atinge o fim da tela, sendo necessário que se pressione qualquer tecla para continuar.
/b – Mostra somente as informações básicas.
/c – Mostra o separador de milhar no tamanho dos arquivos.
/w – Exibe a lista na horizontal, onde são mostrados 5 arquivos por linha.
/d – O mesmo que /w, só que mostra a lista em colunas.
/s – Exibe os arquivos de todos os subdiretórios.
/l – Usa letras minúsculas.
/n – Formato de lista longa em que os nomes dos arquivos ficam na extrema direita.
/q - Mostra o nome do dono do arquivo.
/4 – Exibe anos de 4 dígitos.
/t:campo – Controla qual campo de tempo é exibido ou usado na classificação onde campo deve ser substituído por um desses caracteres e não devem ser digitados os 2 pontos (:).
C – Criação.
A – Último acesso.
W – Última gravação.
/o:ordem – Mostra os arquivos em uma ordem, onde ordem deve ser substituída por um desses caracteres e não devem ser digitados os 2 pontos (:).
N – Nome do arquivo seguido pela extensão.
S - Tamanho do arquivo.
D – Ordem cronológica.
G – Grupos de arquivos de subdiretórios.
/a:atributo - Mostra somente arquivos de determinado atributo, onde atributo deve ser substituído por algum desses caracteres e não devem ser digitados os 2 pontos (:).
D – Nome do arquivo seguido pela extensão.
R – Arquivos somente leitura.
H - Arquivos ocultos .
Obs.: Para reverter o efeito dos caracteres, é necessário a colocação de um hífen (-)
Ex.: Dir /a-h, mostra todos os arquivos menos os arquivos ocultos.
Comando COPY
O comando COPY copia um determinado arquivo ou o disco inteiro, sendo que caso exista algum arquivo no destino com o mesmo nome do arquivo de origem, esse arquivo será substituído. O COPY deve ser usado da seguinte maneira: copy [drive:\][caminho\] arquivo(s) de destino [opções] (Sem colchetes), sendo que não é necessária a utilização das opções caso você não queira.
Opções:
/v – Verifica o arquivo de destino após a cópia, esta opção deixa o copy mais lento.
/a - Indica um arquivo de texto ASCII.
/b - Indica um arquivo binário.
/d - Permite que o arquivo de destino seja criado descriptografado.
/n – Usa um nome de arquivo curto (Padrão 8.3), caso copie um arquivo fora deste padrão.
/y – Não pede confirmação para que você substitua um arquivo de destino já existente.
/-y – Pede confirmação para que você substitua um arquivo de destino já existente.
/z – Copia arquivos de rede no modo reiniciável.
Comando TYPE
Mostra o conteúdo de um arquivo (somente um por vez e não aceita caracteres curinga).
Comando REN ou RENAME
Renomeia o arquivo. Pode-se também alterar a extensão do mesmo.
Ex.: Ren Arquivo.txt Backup.bak, Isto renomeia o arquivo: Arquivo.txt, para Backup.bak.
Comando DEL ou ERASE
Apaga arquivos do disco rígido e deve ser usado da seguinte maneira: del [drive:\][caminho\] nome do(s) arquivo(s) [opções] (Sem colchetes), sendo que não é necessária a utilização das opções caso você não queira.
Opções:
/p - Força a mensagem de confirmação “Apagar( S / N )?”.
/f – Força a exclusão de arquivos somente leitura.
/s – Exclui arquivos de todas as subpastas.
/q – Modo silencioso, não pede confirmação para excluir um caractere curinga global.
/a:atributo – Exclui somente arquivos de determinado atributo, onde atributo deve ser substituído por algum desses caracteres e não devem ser digitados os 2 pontos (:).
S – Arquivos de sistema.
R – Arquivos somente leitura.
H – Arquivos ocultos.
A - Arquivos prontos para arquivamento.
Obs.: Para reverter o efeito dos caracteres, é necessário a colocação de um hífen (-).
Ex.: Del *.* /a-h, executando este comando, você exclui todos os arquivos menos os arquivos ocultos da pasta.
Comando MD ou MKDIR
Cria uma pasta, devendo ser usado da seguinte maneira: MD Pasta, onde Pasta é o nome da pasta que você quer criar.
Comando CD ou CHDIR
Entra ou sai de uma pasta: se você digitar CD TESTE, por exemplo, ele entrará na pasta TESTE. Se você digitar CD.. ele irá voltar para a pasta anterior. O mesmo vale para o CHDIR.
Comando RD ou RMDIR
Remove uma pasta que esteja vazia, sendo que não consegue remover pastas com arquivos. Deve ser usado da seguinte maneira: rd [opções] (Sem colchetes), sendo que não é necessária a utilização das opções caso você não queira.
Ex.: Digitando RD Teste você irá excluir a pasta teste.
Opções:
/s - Remove todas as pastas e arquivos da pasta, além dela mesma.
/q – Modo silencioso, não pede confirmação para remover a árvore de pastas quando usado com /s.
2. Os comandos externos
Assim como nos comandos internos pode-se usar o comando auxiliar /?, dentre os comandos externos, alguns são muito úteis, como o format veremos logo adiante…
Comando ATTRIB
O Attrib altera ou mostra os atributos de um arquivo, devendo ser usado da seguinte maneira: attrib [Atributo] [drive:\][caminho\] nome do(s) arquivo(s) [opções] (Sem colchetes), sendo que não é necessária a utilização de opções caso você não queira.
Opções do “Atributo” dos colchetes:
+ Ativa um atributo.
- Desativa um atributo.
r – Atributo de arquivo somente leitura.
a – Atributo de arquivo de leitura/gravação.
s – Atributo de arquivo de sistema.
h – Atributo de arquivo oculto.
Opções:
/s - Processa os arquivos da pasta atual.
/d – Inclui pastas.
Comando FORMAT
Como o nome já diz, ele formata o drive. Deve ser usado da seguinte maneira: format [drive:] [opções] (Sem colchetes), sendo que não é necessária a utilização de opções caso você não queira.
Opções:
/fs:sistema de arquivos – Formata a partição como fat32, fat ou ntfs, é necessário substituir “sistema de arquivos”, por fat32, fat ou ntfs.
/v:nome – Formata a partição com um nome de volume específico.
/q – Formatação rápida (Tão rápida quanto a formatação de um disquete).
/c – Arquivos criados na partição serão compactados (somente com partições ntfs).
/x - Força primeiro a desmontagem do volume, se necessário. Todos os identificadores abertos no volume não seriam mais válidos.
/f:tamanho – Especifica o tamanho do disquete a ser formatado (Em formatações de disquete, claro).
/t:trilhas – Especifica o número de trilhas por lado do disco.
/n:setores – Especifica o número de setores por trilha.
Comando DISKCOPY
O comando DISKCOPY copia o conteúdo de um disco flexível para outro, sendo que eles devem ter o mesmo tamanho e densidade. Deve ser usado da seguinte maneira: diskcopy [drive de origem:] [drive de destino:] [opções] (Sem colchetes), sendo que não é necessária a utilização de opções caso você não queira.
Opções:
/v - Verifica os arquivos copiados após a cópia.
Comando XCOPY
O comando xcopy copia arquivos de um ou mais subdiretórios. Também pode copiar os subdiretórios, mas não copia arquivos de sistema ou ocultos, devendo ser usado da seguinte maneira: xcopy [drive:\][caminho\] arquivo(s) de destino [opções] (Sem colchetes), sendo que não é necessária a utilização de opções caso você não queira.
Opções:
/d – Copia arquivos que foram modificados a partir de uma certa data.
/p – Pede confirmação para cópia de cada arquivo.
/s – Copia diretórios e subdiretórios (Não copia pastas vazias).
/e/s – Copia os subdiretórios mesmo que estejam vazios.
/v - Verifica os arquivos copiados.
Obs.: Por ser um comando com inúmeras opções não é possível que eu escreva todas aqui. Para saber mais sobre o xcopy, vá no prompt de comando e digite xcopy /?
Comando TREE
O comando tree mostra as pastas e subpastas da pasta onde foi executado o comando. Parece complicado mas não é: é como a parte esquerda do Windows Explorer. Deve ser usado da seguinte maneira: tree [drive:\][caminho\][opções] (Sem colchetes), sendo que não é necessária a utilização de opções caso você não queira.
Opções:
/f - Inclui nome dos arquivos de cada subdiretório.
/a - Exibe os subdiretórios com caracteres ASCII.
Comando DELTREE
É a combinação dos comandos del e tree: ele exclui arquivos de uma pasta suas subpastas e “subarquivos”. Deve ser usado da seguinte maneira: deltree [opções][drive:\][caminho\] (Sem colchetes), sendo que não é necessária a utilização de opções caso você não queira.
Opções:
/y – Não pede confirmação para a exclusão dos arquivos.
Comando MOVE
O comando move altera a posição de um ou mais arquivos de uma pasta para outra. Deve ser usado da seguinte maneira: move [opções] [drive:\][caminho\]arquivo1,arquivo2 (Sem colchetes), sendo que não é necessária a utilização de opções caso você não queira.
Opções:
/y - Não pede confirmação para a mudança dos arquivos.
/-y – Pede confirmação para mudança dos arquivos.
Para Renomear diretórios
Use [opções] [drive:\][caminho\]nome do diretório antigo [drive:\][caminho\]nome do diretório novo
3. Dicas
A. Nos comandos acima é possível a utilização de caracteres curinga como “*.*” (asterisco ponto asterisco), que significa todos os arquivos ,”relatorio.*“, que significa arquivos de nome relatorio com qualquer extensão, “*.txt“, significa qualquer arquivo com extensão .txt, “foto?.bmp“, que significa qualquer arquivo que comece com a palavra “foto” e tenha extensão .bmp
Resumindo, o asterisco (*) significa qualquer caracteres de qualquer tipo e interrogação (?) significa um caractere qualquer. Estes são chamados caracteres curingas e são muito úteis no MS-DOS.
B. Um comando que adoro digitar no Autoexec.bat é o deltree, eu digito a seguinte linha: deltree /y c:\windows\temp\. Se você leu atentamente o tutorial saberá que este comando serve para limpar a pasta temp do Windows toda vez que ele for iniciado, e para quem odeia o menu Documentos Recentes do menu Iniciar digite no autoexec.bat: deltree /y c:\windows\recent\ … 

Fonte do video:http://www.youtube.com/embed/sei0WRU9_68
Autor: NoxXxoN

Fonte do texto: http://www.invasaohacking.com/2010/05/13/comandos-do-ms-dos-prompt-de-comando/
Autor: Nuclear Boy

Nenhum comentário:

Postar um comentário

............